Autonomia de vontade e consentimento informado

Autonomia de vontade e consentimento informado
Segundo o Código de Ética Médica, é vedado ao médico “deixar de obter o consentimento do paciente ou de seu representante legal após esclarecê-lo sobre o procedimento a ser realizado” . Trata-se da possibilidade do profissional da saúde de definir suas próprias condutas respeitando, entretanto, a vontade do paciente de acordo com seus valores, crenças e convicções. Assim, o consentimento informado está diretamente ligado à dignidade da pessoa humana. Embo

Dr. Eymard Francisco Brito de Oliveira

Dr. Eymard Francisco Brito de Oliveira
Dr. Eymard Francisco Brito de Oliveira Advogado e Médico Cirurgião Vascular. Especialização em Ciências Criminais pela Universidade Cândido Mendes. Master em Medicina Forense pela Fundação Universidade de Valência, Espanha. Mestre e Doutor em Educação (Bioética e Educação Médica) pela Universidade Vale do Rio Verde. Pós-Doutor em Direito Médico e da Saúde pela Universidade Degli Studi di Messina, Itália. Membro da Sociedade Ibero-Americana e da Associação